4 dicas para uma refeição mais tranquila com o filhote

Nosso bebê está crescendo e cada dia é uma nova aventura! De vez em quando a ansiedade bate à porta e a gente precisa lidar com ela. Listamos quatro dicas para uma relação mais relax com os pequenos.

Introdução alimentar, saltos de desenvolvimento, dentição, os primeiros passos, as primeiras quedas…

Ver nossos pequenos crescendo é muito lindo, mas também gera uma ansiedade danada! Muitas dúvidas surgem, novas habilidades, comportamentos e até temperamentos aparecem de um dia para o outro. Em um momento nós estamos repetindo o mantra “vai passar”, no outro, olhando o vídeo no celular e pensando “mas passou tão rápido”. Essa montanha-russa emocional pode até deixar a gente maluquinho, mas também nos faz buscar um aperfeiçoamento constante.

Seja a mudança

Muitos fatores contribuem para a ansiedade dos pais: comparação com outras crianças e ideais de perfeição, são alguns deles. Eles geram expectativas que temos dificuldades de gerenciar e as “minhocas na cabeça” ficam descontroladas: “meu filho come demais? Come de menos? Faz careta para todo alimento que dou! Será que ele não gosta de nada?”. Antes de você entrar nessa espiral eterna de pensamentos, pare, respire e se pergunte o que pode ser mudado em você. Isso mesmo, em você!

Já reparou que, quando a família está aproveitando a refeição, a alimentação do pequeno também flui melhor? Que na introdução alimentar, quando você transforma o momento em algo divertido, a aceitação do papá é maior? Percebeu os olhinhos do seu filho indo do prato dele para o seu e vice-versa? Pois é, as crianças são esponjinhas e estão absorvendo as informações ao seu redor o tempo todo.

Antes de você entrar nessa espiral eterna de pensamentos, pare, respire e se pergunte o que pode ser mudado em você.Isso mesmo, em você!

Algumas atitudes podem ajudar a lidar com as nossas inquietações:

1. É importante ter em mente que seu filho é único e tem o tempo dele. Não adianta comparar com o neném da vizinha que comia um prato fundo de papinha aos seis meses ou com a criança da prima da cunhada da sua amiga que a-do-ra escargot com jiló.

2. Ao perceber que está perdendo a paciência, respire. Se precisar de um relax a mais, faça essa pequena meditação quando tiver 5 minutos: inspire profundamente e, relaxe ao expirar, como se toda sua tensão estivesse indo embora com o ar. Faça isso umas 5 vezes, se precisar, pode fazer mais. Lembre-se de algum momento gostoso com o filhote, de preferência algum dia em que a refeição foi boa para os dois. Preste atenção nesse sentimento, nas sensações do seu corpo e na sua respiração nesse momento. Na hora do papá, quando você começar a ficar tensa, respire fundo e busque recuperar a esses bons sentimentos e sensações. Com menos tensão, você pode tentar oferecer um pouco de comida ou entender melhor o que seu pequeno quer. Às vezes ele quer explorar mais antes de comer ou quer interagir com você. Às vezes ele está realmente satisfeito e a gente tem que aceitar isso também.

3. Entenda que você é o modelo do seu filho. Não adianta insistir que ele coma brócolis se essa verdura não passa nem perto do seu prato. Ao querer que o pequeno se alimente bem, os pais também tem que comer melhor. Você pode fazer receitas fáceis que servem para a família toda, como esse arroz espanhol ou um risoto de abóbora.

4. Provar o que você está servindo pode ajudar a quebrar a barreira inicial. O bebê vai observar você comendo e suas reações, por isso é bom dar uma comidinha saborosa para ele também, né? Essa papinha de damasco, laranja e maçã vai fazer sucesso com vocês dois!

O Gourmet Jr recomenda a consulta de um profissional especializado em caso de dúvida quanto a qualquer informação disponível no portal.

abc da nutrição

Ver todas