Obesidade infantil: Setembro Laranja faz alerta aos pais

O número de casos de obesidade infantil aumenta a cada dia mais e isso acontece, principalmente, porque os pais sentem dificuldade em dizer "não" para os pequenos. O Setembro Laranja está promovendo um mês de conscientização para mostrar os problemas que essa doença pode causar. Saiba mais!

Obesidade infantil: Setembro Laranja faz alerta aos pais

Com a evolução da tecnologia, a maneira de ser criança foi ganhando novos rumos e isso tem refletido, inclusive, na saúde dos pequenos. Hoje em dia, as crianças passam muito mais tempo usando celular, jogando vídeo game ou assistindo televisão, e praticam cada vez menos esportes. Tudo isso tem contribuído – e muito – para o aumento no número de casos de obesidade infantil.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) revelou um dado surpreendente e preocupante: estima-se que aproximadamente 41 milhões de crianças menores de cinco anos estejam acima do peso. Vale ressaltar que não é só a tecnologia que tem feito as crianças ficarem obesas, mas também a forma de se alimentar e cuidar da saúde.

Os pais precisam cuidar para manter a alimentação dos filhotes balanceada e equilibrada desde a infância, porque uma criança obesa tem 40% de chance de se tornar um adulto obeso. A Sociedade de Pediatria de São Paulo está promovendo o Setembro Laranja para conscientizar sobre a importância de combater a obesidade infantil, manter a alimentação saudável em casa e nas escolas, além de estimular a prática de exercícios físicos.

A nutricionista Fernanda Macedo explica o que os pais devem fazer para evitar que os filhotes fiquem acima do peso e quais as principais causas da obesidade infantil. Confira!

Gourmet Jr: Em que momento os papais devem ficar em alerta para o peso das crianças?

Fernanda Macedo: A verdade é que os pais não devem esperar que seus filhos se tornem “gordinhos” para ficarem alertas ao peso da criança; o ideal é que a prevenção seja feita desde o pré-natal, durante a gestação. Sabe-se que filhos de mães obesas tem em média 40% de chance a mais de se tornarem obesos já na infância. Monitorar e corrigir a alimentação da criança também é um fator fundamental para a prevenção do ganho de peso excessivo. O consumo de alimentos ricos em açúcar e gorduras, como os fast foods, doces e bolachas recheadas devem ser consumidos esporadicamente, e as refeições devem ser sempre baseadas em alimentos in natura como as frutas, legumes, verduras, grãos, carnes, leite, entre outros. É importante frisar que os pais têm papel fundamental nesse processo porque são exemplos seguidos pelas crianças que seguem fielmente os hábitos que têm em casa.

Gourmet Jr: Quais são as principais causas da obesidade infantil?

Fernanda Macedo: Fatores genéticos, desequilíbrios hormonais e uso de alguns medicamentos podem estar associados à obesidade infantil, porém os maus hábitos alimentares e o sedentarismo são os principais fatores determinantes da obesidade infantil.

Gourmet Jr: Quais problemas essa doença pode trazer para as crianças?

Fernanda Macedo: As consequências da obesidade na infância são doenças como o diabetes, hipertensão, colesterol e triglicérides altos, além de levar a baixa autoestima e depressão. Essas condições, inclusive podem ser levadas para a vida adulta.

Gourmet Jr: E como tratar a obesidade infantil?

Fernanda Macedo: Buscar ajuda médica e nutricional é o primeiro passo. Esses profissionais vão avaliar a criança e investigar as causas da obesidade. A partir desse momento, o tratamento será indicado de forma individual, já que cada faixa etária tem suas particularidades e o crescimento e desenvolvimento devem ser considerados. De qualquer forma, o tratamento envolve mudança no estilo de vida, ou seja, com alimentação saudável e prática de atividade física.

O Gourmet Jr recomenda a consulta de um profissional especializado em caso de dúvida quanto a qualquer informação disponível no portal.

abc da nutrição

Ver todas